Está acontecendo em São Paulo, mais especificamente no MIS – Museu da Imagem e do Som de São Paulo, uma exposição em homenagem a um dos fundadores da Apple. A mostra “Steve Jobs, o visionário” reúne mais de 200 itens entre fotos, filmes, reportagens e produtos históricos. Eu não pude deixar de conferir. Sempre fui muito fã do trabalho dele e da marca, assisti aos dois filmes que contam sua história e sempre quis ter a oportunidade de ver ao vivo um Apple I ou um Lisa.

Foto: Gabriella Caruso | Madamices

Ao entrar na exposição, nos deparamos com diversas revistas em que Jobs foi capa e pasmem, tem até uma Playboy. Calma, ele não foi capa, mas foi uma das principais matérias da revista datada de 1985, quando tinha apenas 29 anos e já era nomeado “zilionário”. Ao redor dela, estão mais algumas capas de editoras de nome, como Rolling Stone, Fortune e Time.

Foto: Gabriella Caruso | Madamices

Uma linha do tempo gigante com sua vida profissional em destaque e alguns detalhes da sua vida pessoal em menor escala mostram toda a evolução de suas inovações, desde seu nascimento até a data de sua morte, passando pela criação do Apple I (1976), do Apple II (1977), do Lisa (1983), Pixar (1986, que se você não sabia, vou falar melhor sobre isso mais pra frente), empresa Next (1988), lançamento de Toy Story (1995), iMac (1998), iPod, Apple Store e iTunes (2001), iPhone (2007) e, por último, iPad (2010), sua última invenção até sua morte no ano de 2011.

Foto: Gabriella Caruso | Madamices

Abaixo da linha do tempo, haviam alguns iPads com o app meCult abertos, que permitia que você apontasse para a data e ele abrisse alguns conteúdos extras. Eu decidi ver o que tinha em 2007 e me deparei com o vídeo do lançamento do iPhone. Não tinha como não rir e se emocionar ao mesmo tempo. Steve Jobs mostrava o quão inteligente era e, ao mesmo tempo, fazia piadas ótimas e dava uma alfinetadinha nos concorrentes.
A exposição seguia com um percurso estruturado por seis células narrativas, sendo elas Espiritualidade, Inovação, Competição, Fracasso, Negócios e Sonho. Cada uma contava um acontecimento ou uma fase da vida de Steve Jobs.

Uma delas, em específico, falava da vida pessoal dele. Foi lá que descobri que ele foi deixado para adoção por seus pais biológicos e foi adotado por Paul e Clara Jobs, que ele se converteu ao budismo e que ele já havia usado LSD. O que eu achei legal foi ter alguns iPods à nossa disposição para ouvir as músicas favoritas dele reunidas em uma playlist. Confesso que não fazem muito meu tipo. Ele parecia gostar de ouvir uns rocks mais indies. Apesar disso, assim que coloquei o “telefone” no ouvido, estava tocando Behind Blue Eyes, do The Who. Essa é uma música que eu gosto!

Foto: Gabriella Caruso | Madamices

Pra quem nunca viu, esse foi o primeiro nome e logotipo da Apple. Ele lembra bastante a Teoria da Gravidade de Isaac Newton com as maçãs, né?
“Steve Jobs estava seguindo uma de suas dietas à base de frutas e tinha acabado de voltar de um pomar, quando propôs Apple Computer. A maçã e o computador, juntos, formavam uma espécie de contradição divertida, e não exigiam muito do cérebro para fazer o link. A junção das duas palavras ajudou a tornar a marca mais reconhecível. O primeiro logotipo da Apple, em estilo vitoriano, foi desenhado por Ron Wayne.”

Foto: Gabriella Caruso | Madamices

Nas fotos acima estão as maiores inovações da Apple. Em ordem: Apple II (1977) que, com ele, Steve Jobs trouxe a tecnologia para todos por ser um produto fácil de usar e com o primeiro software utilitário para o trabalho; Macintosh (1984), o primeiro computador da família dos Macs da Apple, simples e fácil de usar; iPod 1ª geração (2001), onde o termo “pod”, em inglês, significa cápsula, ou seja, iPod é como se fosse uma cápsula que guarda nossas músicas e, em conjunto com o iTunes, revolucionou o mundo editorial e da música; e, por último, iPhone 1ª geração (2007), onde o usuário teria toda sua vida armazenada em um único dispositivo que cabe no bolso e isso mudou a forma como usávamos o telefone. Além disso, também tinha o iPad, lançado em 2010, onde ao navegar na internet usando um tablet, Steve Jobs apresentou ao mundo a primeira alternativa tecnológica real para a substituição dos computadores pessoais.

Foto: Gabriella Caruso | Madamices

Uma das salas mais legais da exposição é a que compara os sucessos com os fracassos de Steve Jobs. Em uma delas, estava o sucesso Apple II (1977) e o fracasso Lisa (1983). O Apple Lisa foi o primeiro computador comercial a usar uma interface baseada em janelas e ícones e foi o pioneiro desse tipo de tecnologia que usamos hoje em dia. O que o levou ao fracasso foi o preço elevado de US$9.995 e foram vendidas apenas 10.000 unidades, comparado com os US$1.195 do Apple II e 2 milhões de unidades vendidas.

Foto: Gabriella Caruso | Madamices

Em 1984, Jobs foi demitido da Apple (se você não sabia disso, você PRECISA assistir os dois filmes sobre a vida dele: Jobs (2013), com Ashton Kutcher que, aliás, é idêntico ao Steve mais jovem e Steve Jobs (2015), com Michael Fassbender) e logo, em 1986, investiu cerca de 5 milhões de dólares para comprar a parte de animação e computação gráfica da LucasFilm, que pertencia à George Lucas, famoso diretor de Guerra nas estrelas. Mais tarde, renomeou a empresa para Pixar Animation Studios.
O filme Toy Story (1995) foi a primeira animação a ser feita totalmente em computador e foi o segundo Oscar da Pixar. Em 2006, a Pixar e a The Walt Disney Company se fundiram na Disney•Pixar e Jobs se tornou o maior acionista da Disney.

Termino o post com essa frase dita por Steve Jobs: “As pessoas que são loucas o suficiente para achar que vão mudar a mundo são as que, de fato, mudam.
A exposição fica em cartaz até 20 de agosto no MIS – Museu da Imagem e do Som de São Paulo (Av. Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo) e os ingressos custam a partir de R$5. Não deixem de ir. Tenho certeza que vocês não vão se arrepender!

por Gabriella
  • 19 de julho de 2017

    Eu amei a exposicao, mto bem montada e elaborada. E a parte da pixar, entao? minha favorita!! bjss

    • Gabriella
      1 de agosto de 2017

      Pois éee, nem sabia disso e acabei descobrindo lá!
      Beijos <3

  • 19 de julho de 2017

    Na faculdade eu tive que assistir vários filmes sobre informática, computadores e alguns nomes famosos como Steve Jobs e confesso que depois dos filmes que vi dele eu perdi um pouco da admiração que tinha por ele. É claro que ele foi um gênio ao criar a marca que até hoje é uma das mais famosas mas ele era muito arrogante e meio babacão com as pessoas ao redor. hahahaha

    Mas sobre a exposição: parece ser bem legal! E acho que quem é fã deve pirar um pouquinho por lá ao ver toda a história. 😀

    Beijos!

    • Gabriella
      1 de agosto de 2017

      Acho que ele falhou um pouco como pessoa, mas como profissional, admiro MUITO!
      É muito legal poder ver todas essas criações que revolucionaram o mundo da tecnologia pessoalmente <3

  • 19 de julho de 2017

    Adorei o post. Steve Jobs de fato é uma inspiração.

    • Gabriella
      1 de agosto de 2017

      Não é, Lidi? 😀

  • 19 de julho de 2017

    Vi uma amiga indo,mas não tinha ideia do que era kkkk achei muito interessante , quero muito ir , adoro esses programas culturais

    • Gabriella
      1 de agosto de 2017

      Desde de que o Catraca Livre anunciou essa exposição, fiquei MUITO animada pra ir e já comecei a procurar fotos dela em todo lugar (porque eu adoro um spoiler kkk)!

  • 19 de julho de 2017

    Que legal! O cara era simplesmente um gênio! Adoro essas exposições, queria morar em São Paulo hahah

    • Gabriella
      1 de agosto de 2017

      Ele era mesmo!
      Ahhh, várias dessas exposições rodam o país. Vai que chega perto da sua cidade? <3

  • 19 de julho de 2017

    Adoro eventos assim… Gosto de algumas músicas dele

  • 20 de julho de 2017

    Que conteudo bacana! Adoro museus, um passeio bem legal para fazer com as crianças. Quando voltar a sp com elas já tenho vários passeios culturais p ir

    • Gabriella
      1 de agosto de 2017

      Com certeza! Tem várias exposições legais acontecendo por São Paulo 😀

  • 21 de julho de 2017

    Amei essa frase do final do post! As exposições do MIS sempre são maravilhosas, bem completinhas, e essa está exatamente assim!
    Adorei a parte que mostra o sucesso X fracasso, hahaha!

    PS.: Eu indiquei seu blog para um prêmio/tag lá no blog <3

    • Gabriella
      1 de agosto de 2017

      Meu Deusss, eu não tinha visto seu comentário antes. Me perdoa, Vi!
      Acabei de ver a tag no seu blog e AMEIIIII <3 Muito obrigada por ter me indicado, vou responder. Sério, fiquei muito feliz, sua linda!