Fonte: Sony Pictures Entertainment

Lançado há pouco mais de uma semana no Brasil, Em Ritmo de Fuga (Baby Driver) está sendo muito bem avaliado pelos críticos e gerado diversos comentários positivos por parte dos espectadores.

Baby (Ansel Elgort) é um rapaz que precisa ouvir músicas o tempo todo para silenciar o zumbido que perturba seus ouvidos. Motorista de uma gangue de criminosos, ele cai na estrada em fuga após um assalto a banco não sair como planejado.

Dirigido pelo britânico Edgar Wright, o filme conta a história de Baby (Ansel Elgort), um piloto de fuga excepcional que precisa ouvir música o tempo todo para abafar o barulho de um problema crônico em seus ouvidos por causa de um acidente que foi vítima quando criança. Por conta disso, ele anda com vários iPods em seu bolso, sendo que cada um tem uma seleção de músicas diferentes de acordo com seu humor.

As músicas acabam se tornando a trilha sonora dos assaltos planejados por Doc (Kevin Spacey), o qual Baby é o motorista exclusivo e oficial. A cara de bebê do protagonista não engana: ele não faz parte disso por escolha. Baby está endividado com Doc e se mete nisso como forma de pagar suas dívidas. Ele não vê a hora de estar limpo e poder sair dessa vida para seguir em frente com Debora (Lily James), sua nova namorada.

Fonte: Wilson Webb / Sony Pictures Entertainment

Baby é um personagem de personalidade curiosa. Curiosa por parecer ser um menino extremamente avoado (principalmente por passar o tempo todo com um fone em cada ouvido e a música no volume máximo), mas tem uma capacidade de concentração, atenção e memória de dar inveja em qualquer um! Ele divide seu apartamento com o pai adotivo, Joseph (CJ Jones), um senhor cadeirante, surdo e mudo. Eles conversam a todo tempo em Libras, o que eu achei muito legal e inclusivo (é difícil ter isso no cinema, né?).

Em um dos assaltos em que ele estava pilotando, as coisas não dão muito certo e as armas da gangue acabam se virando contra Baby, que é visto como um desertor e se mostra ótimo em se esquivar, enquanto busca por sua liberdade.

O fato é: o longa não existe sem a trilha sonora. Ela dita a forma como as cenas acontecem, ajuda a compor as cenas de ação e ainda faz com que seja impossível não ficar nervoso e com o coração tão acelerado a ponto de parecer que vai sair do peito. Isso fica claro desde a primeira cena do filme, inspirada no clipe de Blue Song, da banda inglesa Mint Royale, que também foi dirigido por Edgar Wright. A música de abertura é Bellbottom, de Jon Spencer Blues Explosion, e já traz todo um gostinho de como vai ser o resto do filme. Pra deixar vocês curiosos para assistir, trouxe a primeira cena completa.
 

 

O filme também conta com a participação do baixista do Red Hot Chilli Peppers, Flea, como um dos assaltantes do grupo. Toda a caracterização do personagem fez com que ele ficasse bastante com um aspecto de bandido.

Por fim, mesmo não sendo uma crítica de cinema ou uma grande entendedora, só tenho a ressaltar que foi um dos melhores filmes que vi no ano, se não o melhor. Não tinha tanta esperança por não ser fã de filmes de ação/suspense, mas me vi surpresa assim que os créditos finais começaram a subir. O filme tem humor, um toque bem leve de romance, é inteligente, não é tão previsível e é muito, mas muito intrigante. É difícil desgrudar os olhos da tela!

Assistam o trailer e corram para o cinema mais perto de você.
 

por Gabriella
  • 10 de agosto de 2017

    Eu realmente ameeei, assisti a cena e preciso ver esse filme, a personalidade do Baby me intrigou muuuito, e as músicas deram um toque tão especial

  • 10 de agosto de 2017

    Adorei a resenha! Você escreve muito bem, parabéns 🙂
    Ainda não assisti esse filme, mas me pareceu ser ótimo! Já entrou na minha listinha. Beijos :*

  • 10 de agosto de 2017

    Eu não sabia que o Kevin Space estava no elenco desse filme. Tipo meu deus eu amo esse velho hahaha e a história é super empolgante quero muito assistir!

  • 12 de agosto de 2017

    amei essa resenha, estou numa vibe de ver 2 filme por dia… e com certeza vou procurar para ver com meu marido, a história parece ser super interessante. valeu pela indicação

  • 12 de agosto de 2017

    Caraaaa esse filme deve ser muuuuuito massa!
    Quero muito assistir!!

  • 12 de agosto de 2017

    Já vi umas pessoas falarem desse filme e eu já estava com vontade de assistir o filme, agora estou ainda mais depois do post.
    Se o filme for tão bom quanto o trailer sei que não tem como se decepcionar.

    Beijão

  • 13 de agosto de 2017

    Eu não tinha escutado falar desse filme, COMO ASSIM?
    Pelo visto ele é super ligado à música e a história deve ser incrível! Realmente é bem difícil ver libras em filmes, achei bacana saber disso. Vou adicionar a listinha de leitura

  • Laís de Paula
    13 de agosto de 2017

    Nossa, não sabia que esse filme tinha estreiado. E olha que eu fui no cinema hoje (risos). Vou procurar!!

  • 14 de agosto de 2017

    Parece ser bem legal, não curto muito esse estilo de filme, mais fiquei com vontade de ver. Achei legal e mostrar cenas com ele falando em libras, tenho muita vontade de aprender,

  • 15 de agosto de 2017

    Menina, eu adorei essa resenha! Quando vi o trailer desse filme acabei por achar bem tosquinho e nem dei muita bola mas agora que li seus comentários a respeito, fiquei bem mais interessada sobre a história!

  • Victoria
    17 de agosto de 2017

    Eu assisti e nossa AMEI. Ansel é muito neném, sou apaixonada! Tem tudo que eu gosto, ação, comédia, um pouquinho de romance, um dos melhores filmes que eu vi esse ano. Coisinha mais linda a relação do Baby com o Joseph, queria colocar os dois num potinho.
    Mudando de assunto… Menina que blog lindo, eu tô muito apaixonada por ele, sério! Já estou seguindo, um beijo e sucesso!
    Skyscrapers

  • 29 de agosto de 2017

    Eu quando comecei a ler achei que era mais um filme genérico de ação, mas conforme fui lendo fiquei muito curiosa pela premissa. Parece ser um filme bem diferente do que estamos habituados. Vou ver se consigo ver nos cinemas!

    Beijos!